Acompanhe nossas
Notícias

O que é o reaproveitamento e reciclagem industrial?

O que é o reaproveitamento e reciclagem industrial?

Em maio comemoramos o Dia do Meio Ambiente. Apesar de existir uma data para lembrar da importância da preservação dos recursos naturais, as nossas ações devem ser   realizadas o ano inteiro. O que você quer deixar para as próximas gerações? Quais são as medidas que você e a sua empresa estão tomando HOJE para que as próximas gerações possam ter um futuro melhor no nosso planeta?

 O Brasil produz, por dia, mais de 228 mil toneladas* de lixo. Deste total, 21% acabam despejados em lixões a céu aberto e apenas 1% chegam às estações de triagem, que dão uma destinação final mais sustentável, como a reciclagem e o reaproveitamento.

 A Pesquisa Nacional de Saneamento Básico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos dá números também alarmantes: 33% dos municípios brasileiros possuem um sistema organizado de coleta de lixo doméstico e apenas 10% deles possuem controle do lixo industrial.

Em países como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e Japão, a coleta e o reaproveitamento de resíduos domésticos e industriais são uma realidade. Por aqui, esta prática ainda está muito restrita. Porém, pode ser um negócio para as empresas: segundo o Sebrae, o mercado movimenta mais de R$ 12 bilhões ao ano.

 

Por que investir na sustentabilidade?

 A questão ambiental representa um grande reconhecimento para as indústrias engajadas nesta prática. Com o avanço rápido dos desequilíbrios climáticos causados pela intervenção constante do homem na natureza, a sociedade tem cobrado mais políticas sustentáveis por parte das empresas. E as que investem nesta pratica acabam se destacando e gerando negócios mais sustentáveis.

 O gerenciamento de resíduos é um destes negócios sustentáveis. A gestão de resíduos industriais é o conjunto de ações que envolve a coleta, o transporte, a manipulação, o tratamento, a eliminação ou a reciclagem de dejetos gerados a partir de atividades da indústria.

Enquanto o reaproveitamento garante que materiais que são descartados por algumas indústrias sejam beneficiados e reutilizados, a reciclagem consiste na transformação do resíduo em algo novo. Há o reprocessamento do material com o objetivo de produzir outro. Como exemplo, pneus podem ser transformados em asfalto.

Seja por meio do reaproveitamento ou da reciclagem, com o tratamento adequado do “lixo” industrial têm-se a oportunidade de minimizar a exploração do meio ambiente, além de gerar maiores lucros para diversos setores – seja por meio da utilização do material na própria indústria como para a venda para outras empresas que necessitam destes insumos.

 

Quais materiais podem ser úteis?

Muitos materiais podem ter como destinação a reciclagem ou o reaproveitamento. Entre os resíduos que podem ser aproveitados estão: aço, cobre, papel, entulhos, plástico, borracha, madeira, alumínio, vidro, pneus, metais nobres, baterias e pilhas. Para se ter uma ideia, uma tonelada de aço, por exemplo, pode gerar até 600 quilos de resíduos aproveitáveis.

No caso de entulhos, existe uma extensa relação de produtos recicláveis como concreto, cimento, areia, argamassa, brita, telhas, tijolos, azulejos e muitos outros.

 

Por que gerir os resíduos?

Muitas indústrias já perceberam a oportunidade que têm em mãos com os processos de reciclagem e reaproveitamento. Muito mais do que apenas economizar, há uma clara oportunidade de gerar lucro para a empresa a partir da gestão de resíduos.

A reciclagem industrial surgiu como uma solução para muitas companhias que precisavam “dar um fim” nos subprodutos de sua operação, em concordância com as normas ambientais vigentes. No entanto, o transporte de alguns resíduos representava uma atividade cara e pouco segura para as equipes que desempenhavam este trabalho.  

Paralelamente, os aterros sanitários passaram a ficar cada vez mais cheios e com pouca capacidade para receber estes descartes, que representavam um grande volume. Assim, surgiram os primeiros programas que visavam o reaproveitamento e reciclagem dos subprodutos das indústrias.

Com base em estudos, muitos empresários perceberam que boa parte do material descartado poderia gerar lucro, com a utilização dos resíduos da produção industrial para o reaproveitamento ou a venda dos subprodutos para empresas que fazem a reciclagem. Com o investimento contínuo em pesquisas, cada dia surgem novas técnicas para a reciclagem dos materiais, o que torna esse processo cada vez mais rápido e barato (a partir da economia de energia, por exemplo).

 

Ganhos para a indústria e o meio ambiente

 Mais que apenas cumprir a legislação vigente, o investimento na reciclagem e na reutilização dos resíduos industriais gera ganhos para as empresas e para o meio ambiente. Veja alguns deles:

 - Reduzem custos da produção industrial;

- Geram receitas para a empresa;

- Economizam recursos sustentáveis;

- Preservam o meio ambiente;

- Intensificam ações sustentáveis na rotina industrial;

- Empresas são reconhecidas como responsáveis e sustentáveis.

Para se ter uma ideia, o retorno aos investimentos em sustentabilidade pode chegar a 220%, segundo dados da Associação Internacional de Seguridade Social (ISSA).

 

Como a Siembra recicla?

A Siembra trabalha com o reaproveitamento e reciclagem de dois tipos de materiais: o alumínio e o policarbonato. Para os demais resíduos utilizados na indústria, a empresa está investindo em estudos para identificar novos caminhos de reutilização e reciclagem.

O alumínio é enviado para o derretimento e a fabricação de novos perfis, gerando uma economia importante no processo de produção. O policarbonato é separado e reciclado adequadamente.

Saiba mais sobre o negócio da Siembra, aqui.

 

*Dados do Sebrae - para conferir na íntegra, clique aqui.

compartilhe:
Acompanhe nossas mídias sociais
© SIEMBRA AUTOMAÇÃO 2017 - Todos os direitos reservados